Republica Dominicana

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018 - Publicado a 9 de julho de 2010

A República Dominicana é um país de contrastes surpreendentes e de uma variedade extraordinária. Do pico gelado da montanha mais alta das Caraíbas às mais belas praias da região, o país possuí vales luxuriantes, quedas-d’água espectaculares e desertos tórridos. O passado e o presente misturam-se nos edifícios coloniais e nos hotéis modernos, nas aldeias sossegadas e nas estâncias animadas. Também o povo reflecte um caleidoscópio de influências – espanholas, africanas e indígenas – que resultam no realce da criatividade e da diversão na música, no desporto e na arte.

Principais Atracções da República Dominicana

Santo Domingo – A zona colonial é o centro historico de Santo Domingo. Estes cerca de 2,5 km2 de ruas empedradas e praças sombrias têm alguns dos mais antigos edificios coloniaias do hemisferio ocidental, como a catedral. Para lá da zona colonial fica uma movimentada metropole com mais de 2 milhões de habitantes, onde suburbios modernos se misturam com pequenas cidades pobres e onde parques e museus sossegados são o refugio do transito frenético. 

Constanza e Os Alpes Dominicanos – As frescas terras altas do interior do país são um mundo á parte, a cerca de 30 km do calor tropical de são Domingo. Dominada pela cordilheira central, a cordilheira que forma a espinha dorsal da ilha, a região central é um paraiso para amantes da natureza cheia de parques nacionais protegidos, riachos e vales. 

Santiago – A descontraida segunda cidade é dìferente da movimentada Santo Domingo. A cidade é mais calma do que Santo Domingo, mas suficientemente animada na calle del sol e perto do monumento aos herois. 

Puerto Plata – Rica em história colonial, a Costa Norte é tambem o centro dos complexos turísticos, oferecendo vistas maravilhosas e entretenimento. As atracçoes turísticas incluem a Fortaleza de San Felipe, La Gorieta e o Museo del Ambar.

Baía La Isabela – Local onde a verdadeira colonização europeia teve início, a bonita baía revela a história da primeira povoação de Colombo. Outras atracções incluem praias maravilhosas como La Isabela e Punta Rucia. La Isabela foi a primeira cidade fundada na América por Cristóvão Colombo, na sua segunda viagem, em 1493. O almirante deu este nome em homenagem á rainha Isabel católica de Espanha.

Las Terrenas – Outrora uma aldeia piscatória, Las Terrenas, rodeada de praias idílicas, é um dos locais mais frequentados do pais e tornou-se uma atracção para turistas que procuram o sol.

Lago Enriquillo – Um mar interior rodeado de vida selvagem, esta maravilha natural envolve uma viagem de barco e encontros com crocodilos e iguanas gigantescas

Costa del Coco – O rosto moderno do turismo dominicano, esta idílica costa de praias de areia branca e palmeiras possui diversas estâncias com o sistema de tudo incluido. É um paraiso para o surf e para o windsurf.

La Romana – Uma cidade que se desenvolveu em torno do açúcar, oferece agora uma doçura diferente sob a forma de algumas estâncias mais luxuosas, e com uma inesquecível imitacão da ltália, Altos de Chavón. La Romana é a terceira maior e a mais importante cidade da República Dominicana, apenas atrás de Santiago de Los Caballeros, que já ocupou a posição de capital política da república. Tem uma população estimada em 400.000 habitantes. La Romana está apenas a 1:30H do oeste de Punta Cana e a uma hora e meia a leste da capital, Santo Domingo. A cidade mais próxima é San Pedro de Macoris, a meia hora de caminho e Juan Dolio, a cerca de quarenta minutos. Também está localizada perto de Bayahibe, a 25 minutos e é o local mais próximo para visitar as ilhas de Saona e Catalina. Para quem ainda não conhece, sugiro que visite a Casa de Campo. Este é um maravilhoso resort, o que realmente dá vida a La Romana. A Casa de Campo fica localizada a 5 quilômetros da cidade, dispõe de uma área de 2.833 hectares, com muitas piscinas, dez restaurantes, campos de golfe e um pólo de ténis. La Romana tornou-se um lugar próspero de muitas perspectivas de crescimento económico, estrategicamente localizada entre Santo Domingo e Punta Cana junto, uma vila em estilo toscano que a torna uma verdadeira atração turística.

————————————————————————-

Destino: República Dominicana (Caraíbas) por Rui Tomás:

A República Dominicana é um dos destinos mais bonitos para umas férias de sonho. Esta zona no norte da ilha é muito agreste, há muitas florestas e praias maravilhosas. A pobreza estava bem patente também, mas vale tudo viver momentos inesquecíveis com as excursões feitas pelo resort. 

Guia de Viagem

Itinerário:
Dia 20 – Cheguei ao Aeroporto de Puerto Plata. Daí parti de autocarro para Río San Ruan, com estadia em regime de tudo incluido no Resort Bahia Principe. A recepção foi muito acolhedora com dançarinos e música Dominicana, e a bebida típica do Bahia Principe. Um resort isolado, rodeado de intensas florestas e coqueiros. A praia é de areia vulcânica, daí a cor escura, e água quente e diversos restaurantes e bares.

Dia 24 – Fizemos uma excursão à Lagoa Gri Gri. Saímos de autocarro e fomos deixados no meio da selva com pequenas éguas e cavalos com ar muito frágil. Caminhámos lentamente pelo bosque. Várias vezes nos deparámos com barraquinhas pobres e miúdos descalços pedindo “caramelos”. Parámos num riacho de águas cristalinas protegido pela vegetação e com som de fundo de cascatas, onde bebemos “Mama Juana” (a bebida alcoólica típica Dominicana).

Rumámos num autocarro muito velho mas pituresco a Río San Juan, para almoçar no “Cheo Café Bar”. Partimos para a Lagoa Gri-Gri, que à medida que o barco navegava, tinhamos a sensação de penetrar num pântano Amazónico, enormes àrvores com grossas raízes a sair da água. Finalmente se avistava o mar, a caminho do recife de Corais de Fogo nas águas límpidas, onde mergulhadores exploravam. Na gruta das Golondrinas foi uma paragem breve. A praia do Caletón, de águas cristalinas. Ali permanecemos a tarde até ao anoitecer, onde bebemos “Coco Loco” e “Piña colada”. Partimos para o Resort.

Dia 25– Fizemos a excursão de catamaran. A Viagem foi de autocarro até Samaná, passando pela chamada “Amazónia das Caraíbas, uma densa floresta verde e a Serra de Samaná com casinhas pobres aqui e ali. De catamaran navegámos ao longo da Baía de Samaná, com música típica e bebendo “Bahia Principe”. Sob ar quente e humido, enfim a pequena ilha de Cayo Levantado de areias brancas. Aí uma tenda azul recheada de lagostas grelhadas, cocos locos e piña coladas esperava por nós. Caminhámos pelo mato da ilha e descemos até à praia do Bacardi. Partimos até Cayo Lírio, uma praia com pedrinhas mas agradável e com coqueiros. Debaixo de uma cabana de troncos e folhas de coqueiros ofereceram-nos um buffet.

Duas redes para baloiçar com um coqueiro de fundo e o som do mar. De volta ao resort, passei o resto dos dias nas espreguiçadeiras ao sol, nas piscinas e praticando desportos. Se pudesse não saía mais dali.

O que mais gostei desta minha viagem á republica dominicana
O que gostei mais foi da água, da praia do Caletón do riacho, dos passeios de bicicleta, das chuvas torrenciais sob um calor abafado e humido, da comida, dos bufets, do resort e da viagem de catamaran. Adorei de tudo um pouco.

Como chegar á republica dominicana
Portugália (a partir de Setembro não há voos directos, escala em Madrid), ou talvez para quem queira fazer uma viagem mais longa, porque não um cruzeiro pelas Caraibas.

Onde ficar alojado na republica dominicana
Resort Bahia Principe – para quem for para aquela zona, o melhor são os resorts com tudo incluido para não haver qualquer preocupação.

Quando ir – Melhor epoca do ano para viajar á republica dominicana
O Verão é a melhor altura para ir, visto que a partir de Setembro começa a época das chuvas torrenciais. Para quem não gosta ou não aguenta calor em excesso, não é aconselhavel visto fazer calor durante todo o ano.