Reserva Natural do Paúl de Arzila

Revisado por Andre a 28 outubro 2018

A Reserva Natural do Paúl de Arzila é rodeada pelo modelado suave das encostas que a acompanham, inserida numa zona de tradições antigas, que está intimamente relacionada com a história do rio Mondego. Situa-se no vale inferior deste rio, a 15 km de Coimbra, ocupando parte do vale da ribeira de Cernache e possuindo o nome da pequena povoação que a domina do cimo de um outeiro a leste. O vale, para além de Arzila, suporta, nos sítios mais elevados, pequenos aglomerados rurais.

A Reserva Natural foi criada em Junho de 1988, pretendendo salvaguardar uma zona húmida importante do vale do rio Mondego. Apesar dos sinais de degradação (poluição industrial, substituição de povoamentos tradicionais por eucaliptos, eutrofização da água e caça excessiva) a reserva continua a manifestar uma elevada diversidade ornitológica.

Como actividades económicas predominantes que se relacionam com esta área destaca-se o artesanato em brunho e juncão, com os quais são feitas as esteiras. Por outro lado é, ainda, presente a pesca artesanal da enguia.

Área: 535 hectares

Concelhos: Coimbra, Condeixa-a-Nova e Montemor-o-Velho

Flora

O coberto vegetal do Paul é dominado por espécies hidrófilas, de entre as quais se destacam, pela superfície ocupada, o bunho e, menos abundante, o caniço. Nas valas é frequente a presença do lítio-amarelo e da pinheirinha, e choupos. Salgueiros e loureiros pontilham caminhos. Nas encostas do vale, a mata que as cobre é essencialmente constituída por pinheiro-bravo e eucalipto, notando-se ainda a presença de alguns sobreiros e carvalho-negral.

Fauna

O Paúl de Arzila é o habitat de muitas espécies de aves aquáticas, em especial migradoras, que na época invernal (cerca de 30 espécies, entre as quais a graça, o pato trombeteiro e o marreco) ou na época estival (cerca de 40 espécies, como a graça-vermelha) procuram aquele refúgio. É também local de nidificação para dezenas de espécies sedentárias, como a galinha de água e o frango de água. Muitas das espécies que visitam o Paúl de Arzila estão protegidas, pelo que se trata de um ecossistema de grande importância.

Também aqui vive e cria a lontra, espécie ameaçada no nosso país.