Riscos da Lipoaspiração Não Invasiva

Conteúdo revisado por Drª Raquel Pires (Nutricionista - CRN-6 nº 23653). Última Atualização: 12/08/19

Quer perder aquelas gordurinhas localizadas quem teimam em não desaparecer, mesmo com uma dieta equilibrada e a prática regular de exercício físico? Se a resposta é sim, existem vários tratamentos estéticos que o podem ajudar.

Continua depois da Publicidade

O mais conhecido é a lipoaspiração. Contudo, a lipoaspiração não invasiva, também conhecida como cavitação, é uma alternativa menos agressiva que a lipoaspiração tradicional, que requer uma anestesia, internamento hospitalar e um período de recuperação.

A lipoaspiração não invasiva consiste na aplicação de um ultrassom na região afetada, que vai assim destruir as membranas das células adiposas, promovendo o vazamento do seu conteúdo gordo, que depois será drenado pelo sistema linfático e eliminado pela urina.

A lipoaspiração não invasiva é assim um excelente método para ajudar a acabar com as gorduras localizadas. Contudo, tal como qualquer tratamento, não é isenta de riscos.

Riscos da lipoaspiração não invasiva

Apesar de os riscos deste tratamento serem muito menores que os de uma lipoaspiração tradicional ou qualquer outra cirurgia plástica, eles também existem e não devem ser esquecidos na hora de decidir fazer uma lipoaspiração não invasiva.

Confira de seguida os vários riscos:

– A lipoaspiração não invasiva é contraindicada para gestantes, já que as ondas ultrassom podem provocar aborto;

– Este tratamento é igualmente contraindicado para adolescentes, já que provoca a descalcificação óssea;

– O uso deste tratamento aumenta as hipóteses de desenvolvimento de osteoporose, já que favorece a retirada de cálcio dos ossos;

– Formação de hematomas, podendo até aparecer pequenas marcas arroxeadas na pele;

– Sensação de dor na zona de aplicação do tratamento, devido à pressão que o aparelho faz sobre esse loca;

– Formação de queimaduras, caso a aplicação seja mal feita;

– Contorno imperfeito e irregular na região intervencionada (por má aplicação do aparelho por parte do profissional);

– Não obter os resultados pretendidos (caso não realize uma drenagem linfática nas quatro horas após a lipoaspiração não invasiva).

Autores
Drª Raquel Pires (Nutricionista - CRN-6 nº 23653)

Nutricionista Clínica - CRN-6 nº 23653

A Drª Raquel Pires é Nutricionista, Health Coach e Personal Diet, com grande experiência em atendimento em consultório e Idealizadora do Projeto ESD (Emagrecimento sem Dor).

Formação Acadêmica

- Graduada pela Universidade Santa Úrsula. - Pós Graduada em Nutrição Clínica. - Pós Graduada em Prescrição de Fitoterápicos e suplementação Nutricional Clínica e Esportiva. - Pós Graduada em Nutrição Aplicada ao Emagrecimento e Estética.

Também pode encontrar a Drª Raquel no Linkedin, Facebook e Youtube

Marcação de consultas 85-99992-2120

A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

Encontrou um erro? Está faltando a informação que está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


    Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
    Última atualização da página em 12/08/19