Riscos da Lipocavitação

A lipocavitação está nas bocas do mundo neste momento, sendo este um procedimento estético, sem praticamente riscos associados, à excepção da execução do procedimento, que poderá trazer algumas complicações, principalmente quando este não é realizado por profissionais.

Lipocavitação antes e depois

A lipocavitação é muitas vezes denominada de “nova lipoaspiração sem uso de cirurgia”, uma nova tecnologia que está a fazer um autêntico furor em todo o mundo, apesar de muitas pessoas não saberem exactamente do que se trata e quais os riscos que estão associados ao procedimento.

O que é a Lipocavitação ?

A lipocavitação é a chamada lipoaspiração sem recurso à cirurgia, ou seja, é um efeito físico, exercido directamente pelo uso de ultra-som em meios líquidos, por isso o efeito que este tem directamente na gordura é resultante da concentração de líquido que contém.

O efeito cavitacional, conseguido através da utilização da tecnologia de ultra sons convergentes, tem como principal objectivo a destruição da gordura, através do rompimento das membranas e com isso a libertação na corrente do organismo, podendo assim ser eliminada do mesmo através das vias normais, nomeadamente fezes e urina.

Em termos práticos e sintéticos, a lipocavitação é um tratamento estético que tem como objectivo a eliminação de gordura localizada, nomeadamente nas zonas da barriga, coxas, braços e costas.

Depois do tratamento ser feito, é possível verificar algumas alterações logo após a primeira sessão, contudo os especialistas afirmam que após cada sessão é aconselhável uma sessão de drenagem linfática, assim como a prática de exercício físico, para que a eliminação da gordura esteja garantida, evitando também o aumento dos níveis de colesterol.

O tratamento é feito com o paciente deitado numa maca, seguindo-se depois a aplicação do gel sobre a área a tratar, posteriormente será iniciada a sessão, com a aplicação do equipamento na área a tratar, com movimentos circulatórios, ouvindo-se um ruído e o profissional deverá sempre manter sob vigilância a temperatura da área, para evitar ao máximo o aparecimento de queimaduras.

Contra-indicações da Lipocavitação

Segundo as informações apresentadas em cima, é extremamente simples entender o objectivo do procedimento e as vantagens que poderá trazer para o corpo de qualquer pessoa, sendo por isso extremamente útil, contudo não poderá ser usada de ânimo leve e requer sempre aconselhamento e ponderação por parte dos pacientes.

Como qualquer outro procedimento estético, existem contra-indicações que devem ser seguidas, por isso, os especialistas não aconselham o tratamento a pessoas:

– grávidas
– com diabetes
– com doenças renais ou de fígado
– com colesterol elevado
– que sofra de obesidade
– que tenha doenças cardíacas
– com epilepsia
– com DIU (dispositivo intra-uterino)
– com pressão alta
– com varizes ou alguma infecção na área a tratar
– com paralisia
– com próteses, placas ou parafusos metálicos no interior do organismo.

Pacientes com estes problemas devem evitar ao máximo a realização do procedimento, assim como também não é aconselhável a realização do procedimento durante os dias de menstruação, mesmo que não tenha efeitos secundários, poderá aumentar o fluxo sanguíneo, causando algum desconforto.

Riscos da Lipocavitação

Como referido em cima, existem sempre riscos associados aos procedimentos estéticos, mesmo quando não existe a necessidade de recorrer à cirurgia, por isso não há nada mais importante do que os conhecer ao pormenor, evitando assim surpresas.

Risco de não obter resultados

O procedimento tem objectivos extremamente concretos, contudo sozinho não fará qualquer diferença, por isso existe um risco deste não obter resultados desejados, se o paciente não cumprir as regras que os profissionais mencionam.

Assim, a lipocavitação corre o risco de não ser bem sucedida, se o paciente não realizar exercício físico nas 4 horas seguintes ao procedimento e depois a aplicação de uma sessão de drenagem linfática, caso contrário a gordura que seria esperada ser eliminada será reabsorvida pelo organismo, mudando apenas de lugar, significando que não teve os resultados pretendidos.

Risco de aumento de colesterol

É um dos riscos mais perigosos e ao mesmo tempo preocupantes para os pacientes. Tendo em consideração que os mesmos esperam sempre obter resultados estéticos, o risco de aumento do colesterol mau é sem dúvida uma grande preocupação por parte dos pacientes.

Este risco existe pois a gordura entra directamente na corrente sanguínea e aumenta os níveis de colesterol, aumentando consequentemente os riscos de problemas cardíacos. Para eliminar ou diminuir ao máximo este risco no procedimento, os especialistas aconselham a prática de exercício físico após cada sessão, assim como a adopção de uma alimentação equilibrada, sem gorduras, durante o período de tratamento.

Risco de queimadura

Este é um risco que apenas é preocupante se o paciente não escolher bem o local e o profissional que irá realizar o procedimento, pois depende unicamente do seu trabalho e dos cuidados que este tiver.

Assim, este risco poderá ser totalmente eliminado através de cuidados específicos, como manter o aparelho sempre em movimento, evitando a acumulação de calor em uma região apenas, assim como a medição frequente da temperatura do local, com ajuda de um termómetro digital, impedindo assim que ultrapasse os 41º.