Rompimento do freio do prepúcio: o que fazer para parar o sangramento

Atualizado e Revisado por Dr Nilo Jorge Leão Barretto (Urologista - CRM-BA 22237) a 08/08/2019

A ruptura do freio do pênis é um episódio considerado normal durante o ato sexual ou masturbação, principalmente no começo da vida sexual do homem. O sintoma mais característico deste rompimento é a dor junto da glande do pênis, no momento da lesão e, em seguida, o sangramento no local.

Após o evento, a primeira medida a ser tomada é a interrupção da relação sexual. De seguida é necessário estancar o sangue. Para isso, é preciso puxar o prepúcio para trás e pressionar o freio entre os dedos indicadores e o polegar durante 5 minutos. De seguida deve ser aplicada uma compressa limpa e esterilizada que ajudará a acelerar o processo de coagulação sanguínea e parar o sangramento. Com a lesão estancada, a aplicação de lubrificantes ou cremes refrescantes, como aloe vera, pode ajudar a aliviar a irritação e sensação de queimação.

Normalmente, este primeiro rompimento é o suficiente para que o freio do prepúcio se cicatrize e não volte mais a incomodar o homem durante relações sexuais futuras. No entanto, quando essa ruptura se torna frequente ou quando no primeiro caso o sangramento não é contido, é importante procurar ajuda médica – o urologista. A recorrência da lesão pode estar relacionada com um freio curto (ver imagem), condição em que o frênulo impede o alongamento completo do pênis, ou quando a região foi perfurada para a colocação de um piercing.

Neste guia educamos o homem a entender como funciona o processo de cicatrização, e quais são as opções de tratamento caso seja diagnosticado um freio curto.

Rompimento Do Freio Do Prepúcio, O Que Fazer Para Parar O Sangramento

Cuidados a ter para acelerar a cicatrização

Durante o processo de cicatrização das feridas causadas pelo freio curto, é importante o homem ficar atento para evitar maiores problemas. O primeiro passo é ter cuidado com a higiene do local, principalmente após urinar, ajudando a evitar infecções mais graves na região genital.

Quanto tempo demora para o freio curar: Geralmente entre 2 a 3 semanas. Cada caso é um caso.

Enquanto as lesões não se fecham por completo, é aconselhável evitar o contato íntimo. Isso vale tanto para a masturbação quanto para os atos sexuais. Em geral, é necessário esperar entre 2-3 semanas para a cicatrização completa da ferida. Também é importante evitar pancadas no pênis, estando proibidas práticas esportivas, principalmente esportes de contato. Por último, para acelerar o processo de cicatrização podem ser usados cremes cicatrizantes (2 a 3 vezes por dia). O Cicalfate é um bom exemplo de creme reparador.

Como evitar o rompimento

Como o rompimento do freio ocorre com o atrito causado durante a masturbação ou durante uma relação sexual, a forma principal de evitar o episódio é diminuir a fricção com a ajuda de lubrificantes. A intensidade do ato sexual também pode facilitar a ruptura do freio. No início da vida sexual é importante que a prática seja iniciada de maneira lenta e cauletolsa, dando tempo para o homem conhecer o próprio corpo e sentir como o freio se comporta durante o ato.

Possíveis complicações do rompimento

O principal problema da ruptura do frênulo é que, quando ela ocorre, se as extremidades não ficarem bem unidas depois de serem realizados os pontos, podem ocorrer problemas de insensibilidade. Ou seja, é provável que após a recuperação, o pênis tenha uma sensibilidade menor do que antes.

Por vezes, a formação de tecido fibroso originado pela cicatrização encurta ainda mais o freio. Nestes casos pode ser necessária a frenuloplastia (cirurgia plástica reparadora), frenectomia (eliminação) ou a circuncisão.

Quando consultar o médico

Quando os tratamentos caseiros não são suficientes para resolver as feridas causadas pelo freio curto, é preciso procurar ajuda médica. É importante o homem ficar atento aos seguintes sintomas: a dor causada pelo atrito durante a relação sexual não termina após o ato; o sangramento causado pela lesão não é estancado; a cicatrização é lenta ou inexistente; surgem sinais de infecção, como pus na região genital e febre. Sempre que os rompimentos se tornam constantes e prejudicam a vida sexual do indivíduo, é preciso consultar o urologista para ser avaliada a necessidade de cirurgia. A frenuloplastia e a postectomia são dois exemplos.

É importante perceber que o frênulo por vezes não quebra, mas puxa e causa incómodo durante a relação. Neste caso, é igualmente necessário consultar o urologista para ser avaliada a cirurgia.

Frenuloplastia

É o processo cirúrgico específico para correção e alongamento do chamado frênulo curto. O frênulo, popularmente conhecido como freio, é uma pequena pele, elástica, em formato triangular que é responsável por conectar a glande ao prepúcio.

Normalmente, freios menores do que os considerados normais podem se romper nas primeiras relações sexuais e se esticar com o tempo. No entanto, quando o freio é muito curto ele pode curvar o pênis de forma intensa, já que impede o órgão sexual de se expandir livremente. Isso pode dificultar ou até mesmo impedir a relação sexual, já que o ato se torna extremamente doloroso para o homem. Nesses casos é aconselhada a cirurgia de frenuloplastia.

É uma operação considerada simples, com uma pequena incisão no freio, o suficiente para permitir o alongamento do pênis. Os pontos realizados para fechar aa incisão caem sozinhos, e é recomendado que o paciente evite contatos íntimos durante os primeiros trinta dias para acelerar o processo de cicatrização.

Quando o problema do paciente é unicamente o freio curto, não é necessário passar pela cirurgia de circuncisão, conhecida como Postectomia. Saiba mais sobre este outro procedimento médico.

Postectomia

Conhecida popularmente como circuncisão, é o procedimento cirúrgico que remove o excesso de pele do prepúcio, corrigindo assim o problema de fimose. Após a cirurgia, o paciente terá uma maior exposição da glande o que, entre outras coisas, facilita a higienização da área e traz mais conforto. Com isso, o acúmulo do chamado esmegma (células descamadas do pênis) é menor, reduzindo infecções e outras complicações geradas por má higiene.

Além disso, algumas pesquisas mostram que o homem circuncidado possui menos chance de contrair uma doença sexualmente transmissível (DST), embora isso não seja o suficiente para dispensar o uso de preservativo em relações sexuais.

A postectomia é normalmente feita em conjunto com a frenuloplastia, para que não seja necessário ter que corrigir o problema de freio curto no futuro. A operação demora entre trinta minutos e uma hora, e pode ser realizada com o paciente sob efeito de anestesia local ou geral. O pós-operatório não costuma trazer problemas significativos. Ainda assim, em alguns casos podem ocorrer infecções, inchaços consideráveis e outras lesões. É recomendado não praticar atividades físicas nas primeiras semanas, até os pontos começarem a cair de forma natural. Por último, é aconselhável interromper as relaçõe sexuais durante o mês que sucede a cirurgia.

VOLTAR PARA »

Referências
  • What should I do if my penis is torn? – NHS
    https://www.nhs.uk/common-health-questions/mens-health/what-should-i-do-if-my-penis-is-torn/
  • https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2066066/
  • http://journals.rcni.com/doi/pdfplus/10.7748/ns2012.05.26.37.35.c9109
  • https://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1464-410X.1981.tb03126.x/pdf
A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.

Rompimento do freio do prepúci…