Ronaldo Luiz Nazário de Lima

Revisado por Andre a 28 outubro 2018

Ronaldo Luiz Nazário de Lima, conhecido no mundo do futebol como Ronaldo, nasceu a 22 de Setembro de 1976, em Itaguai, no Brasil. Sendo o mais novo de três irmãos, cresceu no bairro pobre de Bento de Ribeiro, situado nos subúrbios do Rio de Janeiro. Com tenra idade começou a jogar futsal, o que acabou por ser decisivo para a construção da sua capacidade técnica apurada.

Ronaldo “O Fenómeno” Antes e Depois

O seu primeiro clube de futebol foi o São Cristóvão, onde se manteve até aos seus 16 anos, idade com que assinou o primeiro contrato profissional com o Cruzeiro. No Cruzeiro depressa se notabilizou, marcando 57 golos nos jogos 59 jogos disputados.

A qualidade e a força do seu futebol fizeram com que, com apenas 17 anos fosse convocado para a seleção brasileira que estaria presente no Campeonato do Mundo de 1994. Apesar de não ter saído do banco durante a competição, o seu nome já era conhecido na Europa, e após o término da competição assinou contrato com o PSV Eindhoven.

A mudança para a Holanda acabou por ser extremamente benéfica. Os clubes holandeses são afamados pela sua capacidade de formar jogadores e ali Ronaldo encontrou espaço para se impor, algo que poderia não ter acontecido noutras paragens. Anos mais tarde, Ronaldo contaria que a opção pelo clube holandês foi motivada pelos conselhos de Romário, que ali também jogara anos antes.

Na sua primeira temporada pelo PSV, Ronaldo marca 30 golos, tornando-se o melhor marcador do campeonato holandês. A época seguinte foi fortemente condicionada por uma lesão no joelho, que o impediu de jogar de forma continuada. Ainda assim acabaria por conseguir 12 golos, em 13 jogos. Quanto a títulos a sua passagem pela Holanda, ficaria limitada à conquista da Taça da Holanda em 1996.

Em 1996, Ronaldo muda-se para a capital da Catalunha, numa transferência recorde de 12 milhões de euros. É no Barcelona, que atinge a fama mundial. Marca 47 golos em 49 jogos e ajuda o clube espanhol a conquistar a Taça das Taças, a Taça do Rei e a Supertaça de Espanha. Sagra-se o melhor marcador do campeonato espanhol e com 20 anos torna-se o jogador mais jovem de sempre a conquistar o prémio Melhor Jogador do Ano FIFA.

Apesar do sucesso alcançado no Barcelona, Ronaldo estava insatisfeito com o impasse verificado na renegociação do seu contrato, o que abriu as portas ao surgimento do Inter de Milão. Os italianos pagaram 19 milhões euros e asseguram o passe da estrela brasileira. A adaptação ao futebol italiano seria rápida, com Ronaldo a tornar-se progressivamente um jogador mais completo, capaz não só de marcar golos, mas também de fazer assistências e de marcar de forma exímia os lances de bola parada.

Em 1997, seria eleito novamente o Melhor Jogador do Ano FIFA, prémio ao qual juntaria a “Bola de Ouro”. Ronaldo ajudaria a equipa a conquistar a Taça UEFA, na temporada 1997-1998. Nesta altura, Ronaldo era considerado indiscutivelmente o melhor jogador do mundo e começou a ser apelidado de “Fenómeno”.

No Mundial de 1998, Ronaldo é a figura de maior relevo de uma seleção do Brasil que é apontada como principal candidata ao título. O Brasil chega à final e poucas horas antes do início do encontro, Ronaldo sofre convulsões, que nunca foram devidamente explicadas.

O selecionador Mario Zagallo não abdica da sua estrela e inicia a final com Ronaldo no onze titular. Ronaldo tem uma exibição fraca, e o Brasil acaba vergado por 3-0, diante de Zidane e companhia.

Em novembro de 1999, Ronaldo sofre uma rutura de um tendão no seu joelho, num jogo contra o Lecce. Segue-se uma operação e um período de recuperação de alguns meses. Em Abril de 2000, “O Fenómeno” volta aos relvados e apenas 7 minutos após ter entrado sofre nova lesão no mesmo joelho, chegando-se a temer pela continuidade da sua carreira.

Duas operações e muitos meses de inatividade depois, o técnico Luiz Felipe Scolari surpreende o Brasil, ao convocar Ronaldo para 2002. Ronaldo responde às críticas iniciais marcando oito golos e tornando-se o melhor marcador do torneio. O Brasil iria conquistar o seu quinto título mundial.

Em 2002, Ronaldo voltaria a Espanha desta feita para jogar pelo Real Madrid. A equipa madrilena pagou 46 milhões de euros pelo passe do “Fenómeno”. Apesar de só se ter estreado em Outubro, os adeptos esgotaram as camisolas com o seu nome e cantavam o seu nome no estádio.

Ronaldo respondeu a estes incentivos marcando dois golos na sua estreia, o que fez com que todo o Santiago Bernabéu o aplaudisse de pé. No Real Madrid, Ronaldo conquistaria o campeonato espanhol, uma Taça Intercontinental e uma Supertaça de Espanha. A partir de 2006, Ronaldo começou a ficar sem espaço no plantel do clube espanhol, principalmente devido às várias lesões e ao excesso de peso com que se apresentava.

Ronaldo voltaria a ser uma peça importante para o Brasil durante o Mundial de 2006. Competição na qual marcaria três golos, tornando-se assim o melhor marcador de sempre em fases finais do Campeonatos do Mundo, com 15 golos. O Brasil não passaria contudo dos quartos-de-final, sucumbindo perante a França.

Com vontade de jogar mais, Ronaldo volta a Itália em janeiro de 2007, para jogar pelo AC Milão. Apesar do começo auspicioso, as lesões voltam a surgir e Ronaldo acaba por apenas realizar 20 jogos ao serviço do Milão. A 13 de Fevereiro de 2008, Ronaldo sofre uma nova lesão grave, desta feita uma rutura de ligamentos no joelho esquerdo. O seu contrato terminou no Verão seguinte, e o clube italiano não exerceu a sua renovação. Para recuperar da lesão, Ronaldo volta ao Brasil, trabalhando com o plantel do Flamengo.

Depois de declarar o seu amor pelo Flamengo e de receber uma proposta do clube para assinar contrato, Ronaldo decide optar pelo Corinthians. Uma decisão que faria correr muita tinta na imprensa brasileira, devido à rivalidade entre os clubes.

No Corinthians, Ronaldo conquista um Campeonato Paulista e uma Copa do Brasil disputando 31 jogos e marcando 18 golos, até que anuncia oficialmente o seu abandono a 14 de Fevereiro de 2011.

Ao longo da sua carreira Ronaldo foi ainda notícia pelos seus vários romances. Entre 1997 e 1999 foi juntamente com a atriz Susana Werner, um dos casais sensação do Brasil. Em Abril de 1999, Ronaldo casa-se com a também futebolista Milene Domingues, casamento que duraria quatro anos e do qual resultaria um filho.

Ronaldo conhece depois a modelo Daniela Cicarelli, com a qual casa num castelo em França. O casamento apenas duraria três meses. Abril de 2008 ficaria marcado por um escândalo envolvendo Ronaldo e três travestis, supostamente contratados como prostitutas, sem que o ex-jogador soubesse que se tratavam de homens. Ronaldo mandou-os embora, mas o caso chegou à imprensa.

Galeria de Fotos

Pesquisar Mais Famosos Antes e Depois de A a Z:

IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT