-->Sida - Lidar com o amigo seropositivo - Educar Saúde

Sida – Lidar com o amigo seropositivo

Publicado em 05/01/2011. Revisado por Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692) a 14 dezembro 2018

Sida – Lidar com o amigo seropositivo.

É desejável que as pessoas seropositivas não sejam discriminadas no convívio humano, familiar e social. Um abraço ou um beijo são mimos de que todos gostamos, especialmente quando estamos doentes ou debilitados. Qualquer de nós tem obrigação, para connosco e com as pessoas que nos são queridas, de saber o máximo que puder sobre o VIH e a SIDA.

Os portadores desta infecção não são diferentes das pessoas com outras doenças potencialmente mortais. Tenha presente que não se tratam de pessoas à espera de morrer, mas pessoas que vivem com a sua doença e que continuam a participar na sociedade. Não tenha qualquer receio, porque não existe nenhum cuidado especial a observar nos contactos do dia-a-dia.

Com toda a certeza, eles não apresentam quaisquer riscos de propagação. A melhor oferta que pode fazer a alguém que descobriu estar infectado é, precisamente, ser seu amigo. Trate-o exactamente como gostaria de ser tratada nas mesmas circunstâncias. Divulgue a informação e a educação, mas não o medo. Fale sobre o VIH com a sua família, amigos e colegas. Não tolere qualquer tipo de discriminação em relação às pessoas infectadas, nem em público, nem em privado.

Saiba mais sobre:
A informação foi útil? Sim / Não

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
Autores
Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692)

Enfermeiro - Coren nº 491692

O Reinaldo Rodrigues formou-se em agosto de 2016, pela Universidade Padre Anchieta, em Jundiai. Fez curso de especialização em APH (Atendimento Pré-Hospitalar), pela escola 22Brasil Treinamentos, em Barueri, curso de 200 horas práticas, com foco em acidentes de trânsito.

Trabalha como Cuidador de Idosos há 5 anos, e possui experiência em aspiração de vias aéreas, banho de aspersão, curativos, tratamento e prevenção de Lesão por Pressão, gerenciamento de Equipe de cuidadores com elaboração de escalas. Treinamento e acompanhamento de cuidadores nas casas dos pacientes.

Também pode encontrar o Reinaldo no Linkedin.