-->Síncope Vasovagal - Sintomas, causas, prevenção, riscos e diagnóstico

Síncope Vasovagal

Publicado em 20/05/2011. Revisado por Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692) a 14 dezembro 2018

A síncope vasovagal também referida como síndrome vasovagal é o termo médico correspondente a fraqueza.

A síncope vasovagal ocorre no decurso de uma emoção forte, de uma aflição ou dor pessoal, ou após assistir a um episódio traumatizante.

Estas síncopes são mais frequentes nas pessoas com tensão arterial baixa, nos adolescentes e nas mulheres grávidas.

A síncope tem mais probabilidade de acontecer num ambiente quente quando os vasos sanguíneos dilatam, reduzindo a pressão venosa central.

Foto (pintura de exemplo): Artista Pietro Longhi (1702–1785).

Abaixo você tem um índice com todos os pontos que discutiremos neste Guia

Causas da síncope vasovagal

Os sintomas são causados por uma diminuição temporária do fluxo de sangue no cérebro, devido a uma descida da pressão sanguínea.

Apesar da causa poder bem ser apenas um simples desmaio, outras situações mais graves podem estar na origem ou simular uma síncope vasovagal e devem ser detectadas antes de se optar pelo diagnóstico de uma simples síncope vasovagal.

Nessas razões podem incluir-se:

  1. Batimentos cardíacos anómalos temporários (arritmia paroxistica, episódios de Stoke-Adams);
  2. epilepsia
  3. baixo índice de açúcar (hipoglicemia);
  4. ataque isquémico transitório;
  5. Problemas cardíacos: ataque de coração, fibrose da válvula aórtica (estenose);
  6. micção e ataque de tosse (enfraquecimento aquando da passagem da urina ou durante um episódio de tosse grave);

Sinais e sintomas

A síncope vasovagal ocorre quando alguém se levanta ou senta em posição vertical.

A pessoa boceja, apresenta suores frios repentinos, respiração profunda e acelerada, diminuição da visão e zumbidos nos ouvidos, seguidos de perda de forças, estado de confusão e perda da consciência.

Esta sequência de sintomas apenas leva alguns segundos a manifestar-se.

Após ter caído no solo, o sangue que circulou no cérebro é renovado por força da gravidade e, após um intervalo de alguns segundos, a pessoa volta a despertar.

Depois de uma síncope vasovagal é normal sentir-se confuso, fraco, e uma noção de não estar em si mesmo durante 20-30 minutos.

Como se Diagnostica

O diagnóstico baseia-se na descrição dos sintomas seguidos de exames, se necessário, para despistar outras causas.

É de grande utilidade se uma testemunha ocular do facto também puder fazer um relato da situação.

Cuidados a ter

A melhor prevenção consiste em permanecer deitado com as pernas levantadas (sobre um apoio) acima do nível do corpo, logo que os sintomas tenham o seu início.

Este procedimento restaura o fluxo de sangue ao cérebro e previne o desmaio. Contudo, nem sempre é possível proceder desta forma.

A melhor alternativa possível de imediato é sentar-se, mas pode não ser muito eficaz. Não é recomendável sentar-se com a cabeça entre as pernas.

Riscos e Complicações

Não se registam complicações pela síncope propriamente dita, mas pode advir o risco de lesões devido a uma queda sem protecção.

Vasovagal significa (situacional). Esta é um dos tipos mais comuns de síncope, e pode ocorrer em situações de medo, vergonha ou desconforto, ou durante a retirada de sangue, tosse, urinar ou defecar.

Existem outros tipos de síncope.

Estes incluem a síncope postural (causada por uma mudança na postura corporal), síncope cardíaca (devido a condições relacionadas ao coração), e síncope neurológica (devido a condições neurológicas).

Saiba mais sobre:
A informação foi útil? Sim / Não

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
Autores
Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692)

Enfermeiro - Coren nº 491692

O Reinaldo Rodrigues formou-se em agosto de 2016, pela Universidade Padre Anchieta, em Jundiai. Fez curso de especialização em APH (Atendimento Pré-Hospitalar), pela escola 22Brasil Treinamentos, em Barueri, curso de 200 horas práticas, com foco em acidentes de trânsito.

Trabalha como Cuidador de Idosos há 5 anos, e possui experiência em aspiração de vias aéreas, banho de aspersão, curativos, tratamento e prevenção de Lesão por Pressão, gerenciamento de Equipe de cuidadores com elaboração de escalas. Treinamento e acompanhamento de cuidadores nas casas dos pacientes.

Também pode encontrar o Reinaldo no Linkedin.