Síndrome de Asherman

A síndrome de Asherman consiste na formação de aderências intra-uterinas (tecido cicatricial), que normalmente se desenvolvem após uma cirurgia uterina.

Causas da Síndrome de Asherman

A síndrome de Asherman é uma condição rara. Na maioria dos casos, ocorre em mulheres que tiveram vários procedimentos de dilatação e curetagem. Uma infecção pélvica grave relacionada com a cirurgia também pode levar à síndrome de Asherman.

As aderências intra-uterinas também se podem formar após uma infecção por tuberculose ou esquistossomose. Estas infecções são raras, e as complicações uterinas como síndrome de Asherman relacionadas com estas infecções são ainda menos comuns.

Sintomas Síndrome de Asherman

As adesões podem causar amenorreia (ausência de períodos menstruais), abortos repetidos e infertilidade. No entanto, tais sintomas podem estar relacionados com várias condições.

É mais provável que eles indiquem síndrome de Asherman se ocorrerem subitamente após um procedimentos de dilatação e curetagem ou outra cirurgia uterina.

Exames e Testes de Diagnóstico

É geralmente normal realizar um exame pélvico. Os testes podem incluir:

análise ao sangue para detectar tuberculose ou esquistossomose

histeroscopia

histerossonografia

testes de infertilidade

ultra-som transvaginal

Tratamento da Síndrome de Asherman

O tratamento envolve uma cirurgia para cortar e remover as senéquias ou cicatrizes. Isto pode ser feito normalmente através de uma histeroscopia, que utiliza pequenos instrumentos e uma câmara colocada no útero através do colo do útero.

Depois do tecido da cicatriz ser removido, a cavidade uterina deve ser mantida aberta durante a cura para prevenir o regresso de adesões.

O seu médico pode colocar um pequeno balão dentro do útero durante vários dias e prescrever uma terapia com estrogénio enquanto o revestimento uterino cura. O tratamento com antibióticos pode ser necessário se ocorrer uma infecção.

Leia também: Líquido no Útero: Desfrute de 18 Remédios Caseiros para Problemas no Útero

Grupos de Apoio

O estresse causado pela doença pode ser geralmente aliviado se se juntar a um grupo de apoio onde os membros partilham experiências e problemas comuns.

Expectativas (prognóstico)

A doença pode ser curada na maioria das mulheres com recurso a cirurgia, embora por vezes possa ser necessário mais do que um procedimento. As mulheres que são inférteis devido à síndrome de Asherman podem ter uma gravidez bem sucedida após tratamento.

O sucesso da gravidez depende da gravidade da síndrome de Asherman e da dificuldade do tratamento, bem como de outros factores que afectam a fertilidade e gravidez.

Possíveis complicações

Complicações resultantes da cirurgia histeroscópica são incomuns e incluem hemorragia, perfuração do útero e infecção pélvica. Em alguns casos, o tratamento da síndrome de Asherman não cura a infertilidade.

Quando entrar em contacto com um profissional médico

Contacte o seu prestador de cuidados de saúde se os seus períodos menstruais não forem retomados após um procedimento ginecológico ou obstétrico. Uma avaliação de infertilidade também é aconselhada se você for incapaz de alcançar uma gravidez após 6 a 12 meses de tentativas.

Prevenção

A maioria dos casos de síndrome de Asherman não podem ser previstos ou evitados.

Nomes alternativos

Leia também: Histerectomia