Sindrome de Behcet

SINDROME DE BEHÇET – SINTOMAS, CAUSAS E CARACTERISTICAS DO DIAGNOSTICO
Este sindrome ocorre habitualmente em adultos jovens, de países do Mediterrâneo ou do Japão; a incidência diminui quando os descendentes do paciente emigram para outras regiões.
As Manifestações mais comuns são: ulcerações aftosas orais dolorosas recorrentes (99%), úlceras genitais (80%), lesões oculares (50%) (uveíte, hipópio, irite, ceratite, neurite óptica) e lesões cutâneas (eritema nodoso, tromboflebite superficial, hipersensibilidade cutânea e foliculite).
As Menos comuns são: erosões gastrintestinais, epididimite, glomerulonefrite, paralisia de nervos cranianos, meningite asséptica e lesões neurológicas focais.
Teste de patergia – formação de pápula ou pústula 24 a 48h após traumatismo simples, como picada de agulha.
O diagnóstico é clínico.
Com frequência, a presença do antígeno de histocompatibilidade HLA-B5.

DIAGNOSTICO DIFERENCIAL
. Espondiloartropatias por HLA-B27
. Úlceras aftosas orais
. Infecção pelo herpesvírus simples
. Eritema polimorfo
. LES
. Infecção pelo HIV
. Endocardite infecciosa
. Doença inflamatória intestinal

SINDROME DE BEHÇET TRATAMENTO
Midriáticos locais para todos os pacientes com manifestações oculares, a fim de evitar formação de sinéquias; o acompanhamento rigoroso por oftalmologista experiente é crucial.
Corticosteróides.
Colchicina (para eritema nodoso e afiralgia).
Clorambucil e azatioprina são comumente usados; ciclosporina, às vezes, é bem-sucedida naqueles com doença ocular.

Dica
Acidente vascular encefálico em mulher japonesa jovem estabelece o diagnóstico de síndrome de Behçet, até prova em contrário.
Referência
Yurdakul S, Hamuryudan V, Yazici H: Behçet syndrome. Curr Opin Rheumatol