-->Síndrome de Ogilvie - Tratamento, Sintomas, Causas e Diagnóstico

Síndrome de Ogilvie

Publicado em 04/02/2010. Revisado por Drª Raquel Pires (Nutricionista - CRN-6 nº 23653) a 8 dezembro 2018

SÍNDROME DE OGILVIE – CAUSAS, SINTOMAS E CARACTERISTICAS DO DIAGNOSTICO
. Observada frequentemente em pacientes idosos hospitalizados
. Associada à história de traumatismo, fraturas, cardiopatia, infecção ou uso de opióides, antidepressivos e anticolinérgicos
. Frequentemente detectada na forma de abdome timpânico distendido, em que a radiografia de abdome revela dilatação do côlon franca (geralmente no lado direito, ceco > 10 cm), níveis hidroaéreos escassos, transição gradual para intestino colapsado e presença de ar e fezes no reto
. Pode simular obstrução verdadeira e deve-se avalia-la com exames radiológicos utilizando enema com diatrizoat (Hypaque)
. Pode haver febre, dor intensa à palpação abdominal, leucocitose e acidose nos casos avançados com perfuração iminente

SÍNDROME DE OGILVIE – DIAGNOSTICO DIFERENCIAL
. Obstrução mecânica
. Megacólon tóxico
. Pseudo-obstrução intestinal crônica

SÍNDROME DE OGILVIE TRATAMENTO
. Interrupção da ingestão oral, aspirações nasogástrica e retal, líquidos intravenosos
. Correção das anormalidades eletrolíticas (Ca2+,Mg2+, K+)
. Suspender os medicamentos ofensivos e tratar as infecções subjacentes
. Enemas frequentes (com água corrente) e a mudança de posição do paciente podem ser benéficos
. Neostigmina (2 mg por via intravenosa) em pacientes refratários ao tratamento conservador pode ser bastante eficaz para descompressão. Principal efeito colateral: bradicardia
. Descompressão colonoscópica para pacientes que não respondem à neostigmina ou para os casos em que aterapia com neostigmina está contra-indicada
. Parecer cirúrgico (para cecostomia com tubo) nos pacientes com sinais peritoniais ou perfuração iminente

Dica
Muitos pacientes com esse distúrbio apresentam exames surpreendentemente inespecíficos. A obtenção de radiografias sequenciais do abdome em pacientes de UTI de alto risco é prudente, independentemente da presença de sintomas.
Referência
Eaker EY: Update on acute colonic pseudo-obstruction.

Saiba mais sobre:
A informação foi útil? Sim / Não

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
Autores
Drª Raquel Pires (Nutricionista - CRN-6 nº 23653)

Nutricionista Clínica - CRN-6 nº 23653

A Drª Raquel Pires é Nutricionista, Health Coach e Personal Diet, com grande experiência em atendimento em consultório e Idealizadora do Projeto ESD (Emagrecimento sem Dor).

Formação Acadêmica

- Graduada pela Universidade Santa Úrsula. - Pós Graduada em Nutrição Clínica. - Pós Graduada em Prescrição de Fitoterápicos e suplementação Nutricional Clínica e Esportiva. - Pós Graduada em Nutrição Aplicada ao Emagrecimento e Estética.

Também pode encontrar a Drª Raquel no Linkedin, Facebook e Youtube

Marcação de consultas 88-99685-0858