Sintomas da doença de Paget

Revisado por Equipe Editorial a 24 outubro 2018

A doença de Paget é uma perturbação óssea crônica, que se caracteriza por um crescimento anormal de algumas zonas do osso, tornando-se maiores e mais frágeis. Esta é uma doença metabólica com causas ainda pouco definidas, e que pode provocar vários sintomas, entre os quais dor profunda nas zonas ósseas, fadiga, rigidez nas articulações e deformações nos ossos.

Doença de Paget do osso. Pélvis pernas arqueadas

Este problema de saúde pode atacar qualquer osso, sendo no entanto mais comum no fêmur, coluna vertebral, crânio e tíbia. O grupo mais afetado são elementos do sexo masculino, geralmente com mais de 40 anos. Neste artigo poderá conhecer um pouco melhor esta doença. Confira.

Características da doença de Paget

Na doença de Paget, a massa óssea saudável é destruída, voltando depois a regenerar, mas já com deformidades. Além disso, estruturalmente, o novo osso é maior, mas também mais frágil e com muitas calcificações. Todas estas alterações trazem consigo vários problemas, que se manifestam através de diversos sintomas, os quais poderá conhecer mais abaixo.

Apesar de poder ocorrer a partir dos 40 anos, a maior parte dos casos surge depois dos 60. Aparecendo geralmente já numa fase da vida mais avançada, muitas vezes os seus sintomas confundem-se com sinais de velhice. Esta doença é de manifestação benigna, podendo os sintomas não se prolongarem por muito tempo.

Causas da doença de Paget

Como referimos em cima, a doença de Paget é geralmente de origem hereditária. Contudo, ainda não se descobriu nenhum padrão genético específico, havendo no entanto algumas evidências que apontam para a possibilidade de infecções virais estarem envolvidas no processo. Dessa forma, e apesar de algumas pistas serem conhecidas, ainda não há qualquer constatação sobre o que provoca o desenvolvimento desta doença.

Sintomas da doença de Paget

A doença de Paget é frequentemente assintomática, ou seja, sem qualquer manifestação. No entanto, com o evoluir da doença, podem começar a surgir alguns sintomas, de uma forma subtil e lenta, como fadiga e rigidez das articulações.

Pode também começar a sentir dor, por vezes intensa, que geralmente piora durante a noite. Além disso, o aumento do tamanho dos ossos pode causar a compressão dos nervos, elevando a intensidade da dor e provocando deformações ósseas.

Sendo a doença de Paget uma doença ortopédica que pode atingir qualquer osso, os sintomas também poderão variar de acordo com o osso afetado. Confira de seguida uma lista dos principais sintomas que podem se manifestar com a doença de Paget:

  • a zona afetada por inchar e ficar mais quente;
  • aumento da corcunda (cifose da coluna);
  • arqueamento das pernas;
  • deformação das articulações;
  • dor nas articulações e nos ossos;
  • maior risco de fratura óssea;
  • dores de cabeça ou surdez (provocada pelo aumento da massa óssea do crânio);
  • deformações nas sobrancelhas e na testa, causada pelo aumento do crânio;
  • osteoporose.
  • Diagnóstico da doença de Paget

Na maior parte das vezes, a doença de Paget é diagnosticada acidentalmente, aquando da realização de radiografias ou exames laboratoriais, pedidos por outros motivos. No entanto, caso exista a suspeita de existência desta doença, deve consultar um médico ortopedista, que analisará os seus sintomas e irá pedir alguns exames específicos para confirmar.

Estes exames incluem exames laboratoriais (para medir a enzima produzidas pelas células que constroem os ossos) e uma radiografia (para mostrar a existência de anormalidades na estrutura dos ossos). Caso se confirme, é também pedida uma cintigrafia óssea, que permitirá perceber quais os ossos que estão afetados.

Como tratar a doença de Paget

Sendo uma doença da qual não se conhecem as causas, o tratamento é apenas direcionado para o alívio dos sintomas, retardamento da progressão da doença e correção das anormalidades ocorridas. Assim, apenas é tratado o paciente que tenha sintomas incômodos, ou então, cuja evolução da doença esteja a colocar em risco a sua saúde.

Esta doença, dependendo dos ossos afetados, pode levar a complicações como surdez, deformações, artroses e artrite, e como tal, se o paciente estiver em risco de desenvolver estes problemas necessita de tratamento.

Para aliviar os sintomas de dor, o médico prescreve aspirina ou outros medicamentos anti inflamatórios não esteroides, ou ainda, analgésicos comuns, como por exemplo o paracetamol. Para os casos onde a doença está bem ativa e é necessário retardar a sua progressão, são usados medicamentos como a calcitonina ou bifosfonatos.

Estes são utilizados sobretudo para tratar pacientes com dores muito intensas ou em risco de desenvolver as complicações anteriormente mencionadas. Podem também ser administradas antes de uma cirurgia, para prevenir ou diminuir hemorragias, caso a intervenção cirúrgica seja necessária.

A cirurgia pode ser uma forma de tratamento necessária nalguns casos, seja para corrigir deformações ósseas, mas também para aliviar a compressão dos nervos, ou até mesmo, substituir uma articulação afetada por artroses.