Substituição da dentição nas crianças

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018

Pequenos banguelas – O que é preciso saber sobre a troca de dentição dos pequenos

A Fada do Dente, aquela que troca o dente de leite por um presente, é apenas uma história contada às crianças para ensiná-las sobre a mudança da dentição. Segundo a odontopediatra da Clínica Genesis, Celina Gavini, essa substituição começa a partir dos seis anos e meio. “Normalmente, os primeiros dentes a cair são os de baixo e da frente. Depois os superiores, laterais, caninos e molares até, aproximadamente, os 12 anos de idade”, afirma.

Para detectar possíveis complicações, é recomendável fazer uma radiografia panorâmica por volta dos cinco anos. “O Raio X revela se a criança tem todos os dentes permanentes para trocar com os de leite, se há desvio de erupção ou algo que atrapalhe seu nascimento”, explica Celina.

A especialista esclarece que é preciso deixar que a substituição ocorra naturalmente pois “arrancá-lo à força pode machucar a criança e causar traumas aos tecidos gengivais. Também não há problema em deixá-los mexer no próprio dente, desde que estejam com as mãos limpas. As mães devem ter o bom senso de levar os pequenos ao dentista quando o dente estiver doendo, ou com possibilidade de ser engolido”.

Na fase de dentição mista – dos de leite e permanentes, alimentos que exigem mais mastigação “ajudam no posicionamento correto dos dentes, no desenvolvimento dos maxilares e massageiam as gengivas. Também promovem a autolimpeza da boca, ao remover resíduos alimentares”, conclui.