Taquicardia Ventricular

TAQUICARDIA VENTRICULAR – CAUSAS, SINTOMAS E CARACTERISTICAS DO DIAGNOSTICO
. Três ou mais extra-sístoles ventricúares consecutivas; cessante (duração < 30 s) ou incessante
. Os mecanismos são reentrada ou foco automático; pode ocorrer espontaneamente ou com infarto do miocárdio
. Outras causas incluem isquemias aguda ou crônica, miocardiopatia e fármacos (p. ex., antiarrítmicos)
. A maioria dos pacientes é sintomática; síncope, palpitações, dispnéia e dor torácica são comuns
. B1 de intensidade variável; B3 presente
. O eletrocardiograma revela taquicardia regular com complexo QRS largo (em geral, entre 140 e 220bpm); entre os episódios,
o ECG frequentemente revela evidências de infarto miocárdico prévio

DIAGNOSTICO DIFERENCIAL
. Qualquer causa de taquicardia supraventricular com condução aberrante (entretanto, uma história de infarto do miocárdio ou
fração de ejeção baixa indica taquicardia ventricular, até prova em contrário)
. Flutter atrial com condução aberrante

TAQUICARDIA VENTRICULAR TRATAMENTO
. Depende de o paciente estar estável ou instável
. Se estável: podem-se utilizar inicialmente lidocaína, procainamida ou amiodarona, por via intravenosa
. Se instável (hipotensão, insuficiência cardiaca congestiva ou angina): cardioversão sincronizada imediata
. Para a taquicardia ventricular incessante, deve-se considerar fortemente o uso de desfibrilador cardíaco implantável automático
. O tratamento da taquicardia ventricular cessante, assintomática e recorrente é controverso; no paciente com cardiopatia isquêmica e baixa fração de ejeção ventricular esquerda (< 35%), um desfibrilador cardíaco implantável pode ser a conduta mais sábia.

Dica
Toda taquicardia de complexos largos deve ser tratada como taquicardia ventricular, até prova em contrário.
Referência
Talwar KK, Naik N: Etiology and management of sustained ventricular tachycardia.