Ter Fé

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018

Praticamente em todos os mais de mil estudos que incidiram sobre os efeitos da espiritualidade na cura, foi descoberta uma ligação forte entre a fé e a longevidade. Num estudo de 12 anos realizado na Universidade de lowa, por exemplo, descobriu-se que as pessoas que participavam em serviços religiosos, pelo menos uma vez por semana, tinham 35% de probabilidades de viver mais tempo do que as que nunca iam a uma igreja ou não participavam em acontecimentos de carácter religioso.

Estar envolvido activamente numa comunidade espiritual – ir à igreja ou à mesquita com regularidade, por exemplo – estimula o sistema imunitário e contribui para evitar a hipertensão e os coágulos nas artérias. Esta situação está associada a níveis inferiores de lnterleukin-6, um mediador de inflamações ligado às doenças dos idosos, como a aterosclerose. Os investigadores especulam que este efeito positivo se deve a uma dieta e a um estilo de vida mais saudáveis adoptados pelas pessoas que frequentam igrejas. O forte sentimento comunitário que a maioria das religiões proporciona também pode exercer uma certa influência.

Por outro lado, os líderes religiosos sugerem, com pragmatismo, que ir à igreja não o protegerá de todas as coisas horríveis que acontecem na vida, mas dar-lhe-á a força necessária para enfrentá-las e ultrapassá-las. Ter fé pode proporcionar-lhe mais 7 anos de vida.