Tireoglobulina

Revisado por Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692) a 12 dezembro 2018

A Tireoglobulina, normalmente sintetizada nas células foliculares da toreóide, sob influência do TSH, representa o precursor da tiroxina (T4) e outras iodotironinas. A principal aplicação clínica da dosagem deste pró-hormônio deriva do fato de que o tecido tireoidiano, normal ou neoplásico, parece ser a única fonte da tireoglobulina circulante. O diagnóstico diferencial do hipotireoidismo congênito e a monitorização do carcinoma tireoidiano diferenciado não-medular são duas utilizações bem estabelecidas.

Após tireoidectomia total, valores até 5 ng/mL, são indicativos de ausência de tecido remanescente. Nesta situação esta dosagem substitui com vantagens práticas os métodos isotópicos tradicionalmente utilizados, pois não há necessidade de suspensão do tratamento hormonal. A tireoglobulina pode estar aumentada sempre que ocorrer estímulo da tireóide, na presença de processos inflamatórios ou mesmo após sua palpação. O achado de valores muito baixos com clínica de hipertireoidismo sugere etiologia factícia. A presença de anticorpo antitireoglobulina interfere no ensaio.

TIREOGLOBULINA – TIREO – TGB

Monitorização de metástases no carcinoma diferenciado de tireóide. Diagnóstico de tireotoxicose fictícia.

MATERIAL:
Sangue(deve ser centrifugado e o soro congelado imediatamente após a coleta).

VALORES DE REFERÊNCIA:
2,0 a 12,0 ng/mL.

MÉTODO:
Radioimunoensaio (RIE).