Toxocaríase ocular

A toxocaríase ocular é uma situação clínica que pela sua variedade de expressão frequentemente levanta dificuldades diagnósticas. Determinados métodos laboratoriais, nomedamente o teste ELISA, têm contribuído para o esclarecimento desta patologia. O síndrome ocular surge geralmente na ausência de doença visceral sistémica, sendo os quadros clínicos mais frequentes o granuloma do polo posterior, granuloma periférico com tracção vítreorretiniana ou a endoftalmite. Se bem que a quimioterapia continua com um papel indefinido no tratamento da doença ocular, a cirurgia de vitrectomia tem vindo a melhorar o prognóstico destas situações.

Toxocaríase ocular – Terapêutica cirurgica

ALCINA TOSCANO, RITA GAMA, MARISA MARTINS, J. PITA-NEGRÃO
Hospital de S. José, Lisboa

Os autores apresentam dois casos clínicos, sendo o primeiro referente a uma criança de 6 anos de idade, com granuloma do polo posterior e o segundo um jovem de 22 anos, com descolamento traccional da retina. São descritos os procedimentos cirúrgicos efectuados e o decurso pós-operatório. Em ambos se obteve um bom resultado anatómico com retina aplicada, sendo as acuidades visuais de10/10 no primeiro doente e 3/10 no segundo. Como conclusão salientamos a importância de uma actuação precoce, quer no recurso a meios complementares de diagnóstico, quer na atitude cirúrgica, no sentido de evitarmos situações que possam conduzir a danos oculares irreparavéis.