TRAB – Doenças auto-imunes da tireóide

Publicado em 02/09/2010. Revisado por Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692) a 12 dezembro 2018

Doenças auto-imunes da tireóide (ex. doença de Graves, tireoidite de Hashimoto) podem cursar com a presença de auto-anticorpos contra antígenos citoplasmáticos e de superfície. Os auto-anticorpos contra antígenos citoplasmáticos estão associados com dano celular, e os anticorpos anti-receptor de TSH (TRAB), influenciam na função e crescimento glandular, possuindo também um papel importante na patôgenese. A natureza destes auto-anticorpos (TRAB) é heterogênea.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Além da atividade estimuladora, podem agir também como anticorpos bloqueadores ou promotores do crescimento, levando ao hipotireoidismo ou a bócios endêmicos e esporádicos, respectivamente. Na doença de Graves, possuem predominantemente atividade estimuladora, apresentando uma sensibilidade de 85% e uma especificidade de 80% para seu diagnóstico. Seus níveis diminuem com o uso de drogas antitireoideanas, podendo ser usados para predizer a recidiva da doença de Graves. Ausência de TRAB após tratamento diminui a tendência de recidiva da doença.

Estes anticorpos podem estar presentes em alguns casos de tireoidite de Hashimoto, tireoidite subaguda, tireoidite silenciosa, e em recém-nascidos de mães portadoras de doença de Graves, devido à transferência feto-placentária destes anticorpos. Altos níveis detectados durante a gestação possui valor preditivo relativo para tireotoxicose neonatal.

ANTICORPO ANTI-RECEPTOR DE TSH (TRAB)

Doenças tireoideanas auto-imunes, oftalmopatia de Graves e hipertireoidismo nonatal.

MATERIAL:
0,5 mL de soroSangue (deve ser congelado logo após a coleta).

VALOR DE REFERÊNCIA:
Até 10 U/mL.

MÉTODO:
Ensaio radiorreceptor (agente marcador: iodo.)

Saiba mais sobre:
Autores
Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692)

Enfermeiro - Coren nº 491692

O Reinaldo Rodrigues formou-se em agosto de 2016, pela Universidade Padre Anchieta, em Jundiai. Fez curso de especialização em APH (Atendimento Pré-Hospitalar), pela escola 22Brasil Treinamentos, em Barueri, curso de 200 horas práticas, com foco em acidentes de trânsito.

Trabalha como Cuidador de Idosos há 5 anos, e possui experiência em aspiração de vias aéreas, banho de aspersão, curativos, tratamento e prevenção de Lesão por Pressão, gerenciamento de Equipe de cuidadores com elaboração de escalas. Treinamento e acompanhamento de cuidadores nas casas dos pacientes.

Também pode encontrar o Reinaldo no Linkedin.

Publicidade

TRAB – Doenças auto-imunes da tireóide