Tratamento da Doença de Sever

Revisado por Equipe Editorial a 24 outubro 2018

A doença de Sever é um problema de saúde que afeta a cartilagem na zona do calcanhar, provocando dor e dificuldade em correr e caminhar. Esta doença ortopédica surge principalmente entre crianças e jovens até aos 16 anos, afetando especialmente os elementos do sexo feminino.

doença de sever

Não se conhecem muito bem as causas por detrás desta doença, mas geralmente ocorre associado a um crescimento rápido da criança, aliado à prática de desportos de alto impacto.

Neste artigo poderá conhecer um pouco melhor esta doença, nomeadamente os seus sintomas, o seu diagnóstico, e ainda, o tratamento mais adequado para a doença de Sever. Confira.

Sintomas da doença de Sever

O sintoma mais comum da doença de Sever é a dor sentida na zona do calcanhar, especialmente na sua borda, ao caminhar ou correr. Esta dor irá levar a uma alteração do padrão da sua marcha, passando a apoiar o peso do seu corpo na zona lateral do pé. Esta alteração leva depois ao surgimento de outros problemas. Confira de seguida as várias manifestações associadas à doença de Sever:

  • dor na borda do calcanhar ao apoiar o pé;
  • dor ao caminhar e ao correr;
  • edema na zona afetada;
  • ligeiro aumento da temperatura.

Caso nada seja feito, a dor irá persistir e outros problemas irão surgir, como limitação funcional, perda de flexibilidade e encurtamento muscular na parte posterior do membro inferior.

Como diagnosticar a doença de Sever

Quando a dor referida surge e persiste, é sinal de que algo não está bem, devendo por isso dirigir-se a um médico especializado em ortopedia, ou então, a um fisioterapeuta. Para identificar o problema é realizado um exame clínico, e caso seja necessário, são realizados alguns exames. Os exames utilizados para identificar e diagnosticar a doença de Sever são o ultrassom e o raio-X.

Como tratar a Doença de Sever

Caso seja diagnosticada a doença de Sever, o médico ou o fisioterapeuta irão definir o tratamento mais adequado. Este geralmente consiste da toma de medicamentos anti-inflamatórios durante uma semana e tratamento fisioterápico. Além disso, é aconselhado que durante o período de tratamento o paciente utilize palmilhas, de modo a apoiar melhor o pé, e assim, reduzir a dor e o incómodo.

O tratamento fisioterápico é adaptado de pessoa para pessoa, de modo a ajudar a reduzir a dor e a inflamação, e ao mesmo tempo, corrigir os movimentos e a forma de apoiar o pé, alterados devido à dor. Assim, cabe ao fisioterapeuta ensinar o paciente a caminhar de uma forma correta, evitando assim um posicionamento inadequado do pé e consequente criação de outros problemas. As massagens, especialmente em meio aquático, podem ser também muito benéficas para o tratamento, ajudando a aumentar o fluxo sanguíneo na área afetada.

Como uma das consequências da doença de Server é a perda de flexibilidade e o encurtamento muscular, é essencial manter a musculatura da perna forte e tonificada. Por essa razão, são também feitos exercícios de fortalecimento muscular da perna durante o tratamento.

Nalguns casos pode mesmo ser necessária a colocação de gesso, de modo a conseguir imobilizar o pé. O objetivo desta opção é reduzir ao máximo o impacto sobre a zona do calcanhar.