7 Possíveis Tratamentos para a Síndrome do Túnel do Carpo

Revisado por Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692) a 14 dezembro 2018

A síndrome do túnel do carpo é um problema de saúde que se caracteriza pelo aparecimento de sintomas como a sensação de formigamento e de picadas nos dedos indicador, médio e polegar.

Estes sintomas surgem devido à compressão do nervo mediano. Este passa pelo punho, ramificando-se depois pela palma da mão.

A doença é um problema que, senão for tratado, agrava-se com o tempo, piorando especialmente à noite.

Sintomas

A doença manifesta-se de várias formas, especialmente através do formigamento e da sensação de agulhas em alguns dedos.

No entanto, há mais alguns sintomas, relacionados com a alteração da sensibilidade do nervo mediano. Assim, os sintomas da síndrome do túnel do carpo incluem:

  • formigamento;
  • dormência;
  • sensação de picadas;
  • dificuldade em agarrar algo com força;
  • dificuldade da pele da mão em distinguir frio do calor;
  • alguns dedos, ou mesmo toda a mão, com um ligeiro inchaço.

Se ainda não está a tratar a doença, com o tempo o problema tende a agravar-se. Os sinais de piora incluem dificuldade em movimentar e utilizar as mãos para pequenas tarefas, como segurar pequenos objetos.

Pode também sentir dificuldade em dormir, pois a síndrome agrava-se durante a noite. Caso sinta alguns destes sintomas de uma forma regular, com especial incidência e intensidade à noite, deve consultar um médico ortopedista, de modo a avaliar o problema e definir a forma de tratamento mais adequada.

Tratamento

Normalmente, para aliviar os sintomas da doença, basta repousarem mais frequentemente, procurando evitar todas as atividades que possam sobrecarregar as mãos.

No entanto, para que este problema sejam realmente curado, a síndrome do túnel do carpo deve ser tratada. Até porque, como referimos em cima, este problema piora com o passar do tempo.

Entre os vários tratamentos possíveis há a toma de medicamentos corticoides, sessões de fisioterapia, e nalguns casos, mesmo a realização de uma cirurgia.

Além disso, quando a doença é causada por outras condições de saúde, como por exemplo a artrite reumatoide, o tratamento deve ser antes direcionado para o problema que está na origem, conseguindo-se assim aliviar os sintomas.

Assim, a forma de tratamento mais comum e conservadora inclui:

aplicação de compressas muito frias na zona do pulso, de modo a aliviar o formigamento e a sensação de picadas, e ainda, para diminuir o inchaço;

colocação de uma munhequeira, principalmente durante a noite, para imobilizar o pulso e reduzir o desconforto durante o sono;

injeção, com periodicidade mensal, de corticoides no túnel do carpo (alivia os sintomas e reduz o inchaço durante cerca de um mês);

toma de medicação anti-inflamatória, como por exemplo o Naproxeno ou o Ibuprofeno, de modo a aliviar os sintomas e diminuir o processo inflamatório no pulso;

Estes tratamentos podem ainda ser complementados com sessões de fisioterapia, que irão maximizar o efeito do tratamento, e ao mesmo tempo, ajudar também a aliviar o sintomas e reduzir a sua frequência.

Tratamento fisioterapêutico

O tratamento com fisioterapia consiste na realização de exercícios específicos.

Estes irão ajudar a reduzir o desconforto provocado por este problema, mas também, a evitar o ressurgimento dos sintomas da doença.

Confira de seguida 3 exercícios realizados durante as sessões de fisioterapia.

– Exercício nº. 1

Tratamento fisioterapêutico para síndrome do túnel do carpo - exercicio 1

Abrir bem a mão, com a palma virada para a frente, e com ajuda da outra mão, puxar os dedos para trás. Deve fazer este exercícios duas a três vezes por dia, fazendo em cada sessão 10 repetições.

– Exercício nº. 2

Tratamento fisioterapêutico para síndrome do túnel do carpo - exercicio 2

Começar com a mão dobrada para a frente, com os dedos esticados, e de seguida, fazer o movimento para trás, fechando a mão. Repetir 10 vezes, 2 a 3 vezes em cada dia.

– Exercício nº. 3

Tratamento fisioterapêutico para síndrome do túnel do carpo - exercicio 3

Esticar a mão e fechá-la, até que os dedos consigam tocar na palma. De seguida, dobrar os dedos como se fossem uma garra, e por fim, voltar a esticar a mão. Este exercício deve ser repetido 10 vezes, 2 a 3 vezes por dia

Apesar de estes exercícios poderem ser realizados em casa, o ideal mesmo é fazê-los na fisioterapia, com a devida orientação de um terapeuta profissional.

Até porque, estes são apenas alguns exemplos, devendo cada paciente ter um conjunto de exercícios adequados a si e à sua situação específica.

Tratamento caseiro

Além dos tratamentos referidos, há ainda opções caseiras que, complementarmente aos indicados, irão ajudar a aliviar os sintomas da síndrome.

Um ótimo remédio caseiro consiste na aplicação de uma bolsa de água quente em cima do pulso afetado, durante cerca de 10 minutos.

No final desse tempo, deve então realizar exercícios de alongamentos.

Estes consistem em esticar o braço para a frente, com a mão esticada, e então virá-la para a direita e para a esquerda, apenas com o movimento do pulso.

Este exercício deve ser feito 10 vezes. Por fim, deve então aplicar uma bolsa de água muito fria ou de gelo, durante aproximadamente 10 minutos. Repita este tratamento duas vezes ao dia.

Cirurgia

Apesar de na maioria dos casos, os tratamentos atrás referidos, serem suficientes para curar a síndrome do túnel do carpo, existem situações, mais graves, onde é necessário mesmo cortar o ligamento do carpo para conseguir aliviar a pressão sobre o nervo mediano, e dessa forma, atenuar os sintomas e o desconforto.

Nestes casos é assim necessário uma intervenção cirúrgica para curar o problema.

Este método é apenas utilizado nas situações onde não há mais nenhuma solução para a resolução do problema e para o alívio dos sintomas.

Sinais de melhora

Após o início do tratamento, podem demorar até duas semanas até começar a sentir uma redução mais significativa dos sintomas da síndrome.

Nesta melhoria inclui-se redução da frequência de situações de dormência, formigamento e picadas nas mãos, e ainda, menor dificuldade em conseguir agarrar em objetos com força.